shop-cart

Now Reading: Não ao Petróleo e Gás no Algarve

Não ao Petróleo e Gás no Algarve

Não ao Petróleo e Gás no Algarve


Print Friendly, PDF & Email

oilgarveO presidente da PARTEX, António Costa Silva, declarava em 2010 que a Bacia do Algarve, a 8.5 km da Ilha de Faro, possuía reservas de gás 20 vezes maiores do que os campos de gás na vizinha costa espanhola. A concessão algarvia, assinada em Outubro de 2011 com o consórcio REPSOL-YPF e RWE tem, desde Janeiro de 2013, como únicos concessionários a REPSOL (90%) e a PARTEX (10%).

A Associação ASMAA (Algarve Surf and Marine Activities Association / asmaa-algarve.org) preocupada com o que “poderá acontecer aos nossos oceanos e ao nosso ambiente, para lá da sobrevivência económica do Algarve” desencadeou a campanha “Diga não ao Petróleo e Gás no Algarve” pretendendo, até ao Verão deste ano, promover o debate e a oposição à PARTEX/REPSOL, cuja regra de ouro é muito sigilo e uma grande falta de informação. Refere ainda a ASMAA que “a primeira plataforma de petróleo é um equipamento que foi comprado como ‘sucata’ na Indonésia”, factor importante devido aos riscos para o ambiente marinho e costeiro decorrentes de um desastre petrolífero ou de gás a somar ainda aos que já decorrem normalmente dos efeitos tóxicos das explorações. Da mesma forma um risco à indústria da pesca para não falar do turismo. Ou simplesmente a evidência, tida como inquestionável, da venda dos bens e recursos naturais num negócio, acusa a ASMAA, em que 91% dos lucros obtidos cabe à PARTEX/REPSOL. A associação, preocupada com o “roubo” do gás nacional – alinhando também assim numa argumentação de base economicista, que, viciada à partida, desvaloriza a simples recusa por via da evidência ambiental – surge como a principal voz de alerta a uma questão que é marginal às agendas ambientalistas.

Ao tema não é estranha a recente proposta de lei das bases do ordenamento e da gestão do espaço marítimo nacional que prevê a privatização do mar e seus recursos por 50 anos através dessas concessões. E não basta a isenção de avaliações ambientais, pois a lei contempla a suspensão dos instrumentos de ordenamento uma vez classificados como PIN’s: “projetos de interesse nacional”.

A story about

, , ,

,

With

7

Views


Written by

Jornal Mapa

Show Conversation (1)

Bookmark this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

One Person Reply to “Não ao Petróleo e Gás no Algarve”

  1. Ola bom dia

    Obrigada pelos jornais que nos enviaram para o Algarve.
    Eu perdi a vossa e-mail. Por favour entre em contacto.
    Um abraco do Algarve
    Laurinda


More from Curtas Category